Judiciário

Moraes é sorteado relator do registro da chapa de Bolsonaro

 

 

O registro da chapa de Jair Bolsonaro (PL) no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) será relatado pelo Ministro Alexandre de Moraes. O ministro foi sorteado nesta quarta-feira (10/08) como o responsável pela análise do pedido de Bolsonaro para concorrer à reeleição.

Moraes, que assume a presidência do TSE na próxima semana, irá analisar e elaborar um parecer sobre a licitude da declaração patrimonial apresentada nesta terça-feira (09/09) pela chapa de Bolsonaro, além do plano de governo, que foi organizado pelo General Walter Braga Netto, candidato a vice-presidente.

Bolsonaro declarou ao TSE um patrimônio de 2,3 milhões de reais, 20% menor que o informado em 2018. Na ocasião, o patrimônio informado foi de 2,9 milhões de reais, em valores corrigidos pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) de julho deste ano.

Bolsonaro informou a propriedade de cinco imóveis. O valor dos bens não mudou de 2018 para este ano. Bolsonaro também declarou uma Moto Honda/NC, quotas ou quinhões de capital, caderneta de poupança Banco do Brasil, e depósitos bancários em contas correntes do Banco do Brasil.

Tecnologia

Jaguar Land Rover inaugura primeira loja da estratégia Reimagine

Concessionária Jaguar Land Rover Land Rio.
Jaguar Land Rover inaugura primeira concessionária da estratégia Reimagine. Foto: Land Rio.

 

A Jaguar Land Rover apresenta a primeira concessionária no Brasil com iniciativas focadas na redução da emissão de carbono, a Land Rio, localizada na capital fluminense. Segundo a marca, a escolha da unidade-piloto levou em consideração elementos em sua estrutura que já contribuíam para o fortalecimento de iniciativas sustentáveis desde sua construção.

A marca afirma que a sustentabilidade é um dos pilares da estratégia Reimagine, projetada para guiar a Jaguar Land Rover a um futuro mais elétrico e sofisticado, visando o bem-estar das pessoas e a preservação do meio ambiente. A concessionária conta com painéis solares como sua principal fonte de energia, enquanto o sistema de recolhimento de águas pluviais possibilita o reuso da água coletada e colabora para a redução do consumo desse recurso essencial.

Para se tornar uma concessionária zero carbono nos escopos 1 e 2 do Protocolo GHG e com a certificação interna global da marca, a Land Rio passou por uma série de adequações, que incluiu a instalação de novos compressores de ar com acionamento de velocidade variável para reduzir o consumo de energia e proporcionar a melhor qualidade do ar e a substituição do sistema de bomba de lavagem de carros por uma solução que liga e desliga de acordo com o uso e tem um jato mais eficiente.

Além disso, a unidade realizou a suspensão total do uso de copos plásticos, substituindo-os por copos produzidos com materiais biodegradáveis, e implantou um programa de conquista da marca de zero resíduos destinados para aterros na Land Rio.

“Lançar esse projeto e anunciar os resultados que obtivemos junto ao time da Land Rio é muito gratificante e nos dá a possibilidade de vislumbrar um futuro mais sustentável e cheio de possibilidades para as futuras gerações. Vamos acompanhar de perto a evolução desse projeto e a nossa ideia é estender essas soluções zero carbono para todas as concessionárias da rede até 2030, visando a conquista de certificações externas”, afirma Gabriel Patini, diretor de negócios e inovação Latam da Jaguar Land Rover.

OPINIÃO

“ O que acontece com Trump nos EUA “

Por Ney Lopes de Souza

A política internacional vem sendo agitada desde a última segunda, 8, quando a mansão do ex-presidente americano Donald Trump no Estado da Florida foi ocupada alguns instantes por agentes da polícia federal americana (FBI) e que eles inclusive teriam arrombado um cofre de sua casa.

O ex-presidente estava em NY na ocasião.

A busca, com ordem judicial, fez parte de uma investigação sobre documentos oficiais violados pelo ex-presidente republicano.

Por lei, os presidentes estão obrigados a transferirem todas as cartas, documentos de trabalho e emails para os Arquivos Nacionais, sendo que Trump é acusado também de destruir vários registros quando ainda estava na Casa Branca.

Especialistas dizem que para uma operação dessa natureza receber autorização judicial é preciso haver praticamente a confirmação de crimes praticados.

Trump é acusado de ter rasgado ilegalmente muitos documentos.

Em um livro a ser publicado, Confidence Man, a jornalista do New York Times Maggie Haberman alega que funcionários da Casa Branca ocasionalmente encontravam pedaços de papel entupindo vasos sanitários.

A jornalista obteve fotos que, segundo ela, mostram papéis em um vaso sanitário da Casa Branca.

Há décadas, o Departamento de Justiça americano segue a doutrina, expressa em dois memorandos vinculantes de 1973 e 2000, de que um presidente não pode ser processado no exercício do mandato.

Após deixar a Casa Branca, porém, essa proteção desaparece.

O processo contra Trump, diante de provas materiais colhidos, é passo sem precedentes nos Estados Unidos.

A operação na mansão de Trump ocorre em meio a notícias de que o republicano se prepara para voltar a concorrer à Presidência em 2024.

Um funcionário de alto escalão da Casa Branca disse à imprensa que o governo do presidente Joe Biden não foi avisado da busca do FBI.

São várias as acusações contra Trump.

O ex-presidente violou a lei ao tentar evitar a derrota nas eleições de novembro de 2021 e instigar o ataque ao Capitólio.

Na lei significa conspirar para fraudar as eleições e derrubar o governo eleito.

Trump arrecadou 250 milhões de dólares dos seus apoiantes para ir ao tribunal provar que as eleições lhe foram roubadas.

Contudo, a maior parte do dinheiro foi usado para outros propósitos.

A 2 de janeiro de 2021, Trump telefonou ao secretário de Estado da Geórgia, Brad Raffensperger, e pediu-lhe para “encontrar” os votos necessários para reverter a sua derrota no estado.

Por isso é acusado de conspiração para cometer fraude eleitoral, solicitação criminosa para cometer fraude eleitoral e interferência intencional no desempenho das funções eleitorais.

Outra lei vigente é a que proíbe a ocultação, remoção ou mutilação deliberada de registros do governo.

Essa lei ameaça como punição a desqualificação “de ocupar qualquer cargo nos Estados Unidos”.

Traduz, em outras palavras, a inelegibilidade de Trump em 2024.

Fatos realmente constrangedores acontecem na maior democracia global.

Porém, é necessário apurá-los com rigor, sobretudo para que seja possível defender a democracia pelas vias legais e nunca pela violência ou golpes de estado.

 

 


Dr Ney Lopes de Souza 
é advogado, professor titular da UFRN e ex-deputado federal

Economia

Paulo Guedes diz que desemprego cairá para 8% antes do fim do ano

 

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse, na noite desta terça-feira, 9, que o desemprego no Brasil cairá para 8% antes do fim de 2022. Atualmente, a taxa de desemprego está em 9,3%. Para o ministro, a queda virá por meio da recuperação econômica. “Antes de o ano acabar nós estamos descendo [a taxa de desemprego] para 8%. Vamos terminar o ano com o menor desemprego que já vimos nesses últimos 10, 15 anos”, frisou durante participação da abertura do congresso da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), em Brasília. De acordo com Guedes, o país entra em um longo ciclo de investimento. Ele também cita que a economia brasileira está em situação melhor do que a de países desenvolvidos. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) aponta que a taxa de desemprego atingiu, no trimestre encerrado em junho, o menor nível para o período em sete anos. Guedes atribuiu parte da recuperação do mercado de trabalho à melhoria do ambiente de negócios, com a redução da burocracia. “O Brasil está em um longo ciclo de crescimento. Criamos um ambiente de negócios que já tem contratos de R$ 890 bilhões. É 10 vezes o que um ministro investe”, finalizou.

Deu na Jovem Pan News

Política

“Vão todos para as viaturas” diz Styvenson sobre policiais cedidos; E ainda disse mais: “Se não pode com o serviço, PEDE PRA SAIR”

 

Candidato a governador do Rio Grande do Norte pelo Podemos, o senador Styvenson Valentim disse nesta terça-feira, 9, ao BZN, sobre a situação de policiais civis e militares que estão cedidos a outros poderes, atuando em gabinetes: “Vão todos para as viaturas”.

Caso ele seja eleito comandante do estado, elementar.

Styvenson lembra que são policiais que fizeram concurso público para servir ao povo e não a políticos em Assembleia Legislativa ou Tribunal de Justiça.

Obviamente, cumprirá o mínimo de policiais a serem cedidos, de acordo com decretos, mas avisa: “Se não tiver nada legal sobre a cessão, não terá acordo camarada comigo não”.

Questionei se ele não teme desavenças com colegas da farda.

No que respondeu taxativo:

– Eu prendi oficial superior à minha patente durante blitz (Lei Seca) e fui punido com detenção de 15 dias, e nem por isso parei de fiscalizar. Policial que é policial, e fez concurso para isso, está na rua combantendo o crime, servindo e protegendo a população. Se ele não serve para o serviço, PEDE PRA SAIR!”.

Continua:

– Se há alguma exigência legal para que a PM, com as Forças de Segurança pagas com o dinheiro público, sirvam a essas instituições, será o mínimo possível. O restante retornará para atuação operacional ostensiva, que é a finalidade. Quando fizeram o concurso tinham esse conhecimento. Policial que é polícial, que resolve fazer concurso, é para servir e proteger a população, não é instituição e nem mesmo quem pode pagar, como as instituições. Quem não pode pagar mais é o povo, é o comerciante, é o motorista de ônibus, é o segurança, é o motorista de Uber…Então, se os policiais não quiserem retornar, não tem essa de insdisposição com a classe. Durante a Lei Seca prendi oficial, prendi praça, apreendi moto na ponte. Eles conhecem, eles sabem muito bem como é que eu sou, não tem mistério nenhum. Policial é para estar na rua protegendo a população”.

Informações da Eliana Lima

Notícias

Lula proíbe esposa Janja de falar durante campanha

O pré-candidato petista Lula da Silva proibiu a esposa Rosângela Silva de conceder entrevistas à imprensa durante a campanha presidencial. A informação é do colunista Igor Gadelha do site Metrópoles.

Segundo o colunista, teria sido o PT que orientou a esposa de Lula a não expor suas posições, que poderiam ser exploradas pela campanha de Bolsonaro. Porém, sabe-se que ninguém no PT daria essa orientação à esposa do “dono” do partido, o que não deixa dúvida de que trata-se de uma iniciativa dele.

O “cala a boca” de Lula na esposa é um temor do petista da exposição das posições radicais de Rosângela, conhecida entre os mais próximos como Janja. Uma das principais preocupações seria a abordagem do tema do aborto, que Lula recentemente defendeu e foi criticado duramente pela sociedade.

Cidade

Câmara de Natal aprova projeto para capacitação de mulheres na área da cultura

 

Em sessão ordinária nesta terça-feira (9), a Câmara Municipal de Natal aprovou projetos voltados para a área cultural, dentre esses, o Projeto de Lei nº 408/2021, da vereadora Brisa Bracchi (PT), que cria a política municipal de capacitação para mulheres técnicas, artistas e produtoras culturais.

A proposta foi construída com a participação de mulheres que atuam no setor e que apontaram suas demandas. Por isso, prevê ações voltadas especificamente para o público feminino. “A gente sabe que a cultura é importante enquanto setor criativo e econômico, mas dentro do setor há desafios como os que se impõem às mulheres. Esse projeto permite que as mulheres possam ocupar ainda mais esses espaços dentro da cultura. Por mais qualificação e por mais mulheres em todos os espaços”, disse a autora da matéria.

Os parlamentares aprovaram também o PL n° 56/2022, de autoria da vereadora Ana Paula (SD), para instituir a Semana de Doação de Livros, entre os dias 22 a 28 e abril, e reconheceram a Associação Norteriograndense de Food Trucks e Food Trailers – ANFOT, como entidade de utilidade pública municipal, através do PL nº 251/2022.

Cidade

Prefeitura de Parnamirim recebe cartão para iniciar ajuda humanitária às famílias atingidas pelas chuvas

Representantes do Banco do Brasil estiveram na manhã desta terça-feira (9) na Prefeitura de Parnamirim para realizar a entrega, ao prefeito Rosano Taveira, do cartão corporativo para a aquisição de insumos que visam combater ou minimizar os efeitos das enchentes e alagamentos que atingiram a cidade nas últimas semanas. Os agentes financeiros foram recebidos pelo gestor municipal e o secretário-chefe do Gabinete Civil, Homero Grec.

Entenda o caso:

Em virtude da situação de calamidade pública em que ficaram os municípios atingidos pelas fortes chuvas do início do mês passado, o Ministério do Desenvolvimento Regional disponibilizou a possibilidade dos gestores municipais pleitearem recursos em vários segmentos atingidos, como a ajuda humanitária para as famílias que foram, de alguma forma, atingidas ou prejudicadas pela chuva. Cestas básicas, kits de higiene e limpeza, colchões e suporte para as equipes que trabalharam no socorro às vítimas são alguns dos exemplos das necessidades do município para com a população.

Em Parnamirim, a Secretaria de Assistência Social realizou todo o levantamento das famílias atingidas e fez a solicitação de recursos ao MDR. O pedido foi integralmente aceito e pago no último dia 20 de julho. Para fazer uso da cifra, no entanto, o município ainda precisava do cartão físico, principal documento para o pagamento das aquisições.


Esta foi a finalidade da visita dos representantes do Banco do Brasil ao gabinete do prefeito Taveira: comunicar sobre a chegada do cartão e fazer a entrega oficial ao gestor e sua equipe.

Com a entrega, a Secretaria de Assistência Social tem condições de, a partir desta terça-feira (9), operacionalizar o processo de aquisição dos itens necessários ao atendimento das famílias prejudicadas pelas chuvas na cidade. Nos próximos dias, a Semas deve divulgar qual será o sistema para que os insumos cheguem a quem mais precisa deles, as famílias parnamirinenses.

Política

Duas parcelas do Auxílio Caminhoneiro começam a ser pagos hoje: Valor totaliza R$ 2 mil

 

Duas parcelas do auxílio-caminhoneiro, totalizando R$ 2 mil, começam a ser pagas nesta terça-feira, 9. Os pagamentos são referentes aos meses de julho e de agosto, cada uma no valor de R$ 1 mil. Os pagamentos serão feitos por meio da poupança social da Caixa Econômica Federal e os valores podem ser consultados no aplicativo Caixa Tem. Caso o beneficiário demore mais de 90 dias sem realizar nenhuma movimentação no dinheiro que tem direito, o recurso voltará para a União. A previsão é de que, até o mês de dezembro, sejam pagas seis parcelas do novo benefício, aprovado no Congresso Nacional e sancionado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), na PEC das Bondades. As próximas parcelas, todas no valor de R$ 1 mil, serão pagas nas seguintes datas: 24 de setembro, 22 de outubro, 26 de novembro e 17 de dezembro. O objetivo do vale é reduzir o impacto da alta dos preços dos combustíveis sobre a categoria, responsável pelo trânsito da maior parte das mercadorias internas do país. De acordo com o governo federal, 900 mil caminhoneiros vão receber o auxílio. Para receber o recurso é preciso que o caminhoneiro esteja com o cadastro atualizado no Registro Nacional dos Transportes Terrestres até o dia 31 de maio, além da carteira nacional de habilitação (CNH) e o cadastro de pessoa física (CPF) válidos. Caso os registros não esteja corretos, o profissional ainda pode corrigir entrando no site da Agência Nacional de Transportes Terrestres e solicitar as alterações necessárias.

Informações Jovem Pan News