Economia

Paulo Guedes diz que desemprego cairá para 8% antes do fim do ano

 

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse, na noite desta terça-feira, 9, que o desemprego no Brasil cairá para 8% antes do fim de 2022. Atualmente, a taxa de desemprego está em 9,3%. Para o ministro, a queda virá por meio da recuperação econômica. “Antes de o ano acabar nós estamos descendo [a taxa de desemprego] para 8%. Vamos terminar o ano com o menor desemprego que já vimos nesses últimos 10, 15 anos”, frisou durante participação da abertura do congresso da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), em Brasília. De acordo com Guedes, o país entra em um longo ciclo de investimento. Ele também cita que a economia brasileira está em situação melhor do que a de países desenvolvidos. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) aponta que a taxa de desemprego atingiu, no trimestre encerrado em junho, o menor nível para o período em sete anos. Guedes atribuiu parte da recuperação do mercado de trabalho à melhoria do ambiente de negócios, com a redução da burocracia. “O Brasil está em um longo ciclo de crescimento. Criamos um ambiente de negócios que já tem contratos de R$ 890 bilhões. É 10 vezes o que um ministro investe”, finalizou.

Deu na Jovem Pan News

Economia

IPCA tem deflação de 0,68% em julho, menor taxa da série histórica

 

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou o mês de julho com deflação de 0,68%, a menor taxa da série histórica, iniciada em 1980. No acumulado do ano, a inflação oficial está em 4,77% e em 12 meses ficou em 10,07%.

Em junho, a inflação subiu 0,67%. Os dados foram divulgados hoje (9) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com o gerente da Pesquisa, Pedro Kislanov, o índice foi pressionado pela queda no preço dos combustíveis, além da tarifa de energia elétrica. A gasolina caiu 15,48%, o etanol teve redução de 11,38% e o gás veicular ficou 5,67% mais barato.

“A Petrobras, no dia 20 de julho, anunciou uma redução de 20 centavos no preço médio do combustível vendido para as distribuidoras. Além disso, tivemos também a Lei Complementar 194/22, sancionada no final de junho, que reduziu o ICMS sobre combustíveis, energia elétrica e comunicações”, ressaltou Kislanov.

Ele explicou que a redução nos combustíveis resultou em queda de 4,51% no grupo de transportes e teve reflexo também na habitação, que caiu 1,05% com a redução de 5,78% na conta da energia elétrica. Foram os dois únicos grupos com variação negativa no mês, conforme apurou a Agência Brasil.

Além da redução da alíquota de ICMS sobre os serviços de energia elétrica, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou as Revisões Tarifárias Extraordinárias de dez distribuidoras, reduzindo as tarifas a partir de 13 de julho.

Deu no Conexão Política

Economia

Dia dos Pais deve injetar R$ 63 milhões no comércio do Rio Grande do Norte, diz pesquisa

 

Um pesquisa da Fecomércio RN apontou que 51,9% dos natalenses pretendem comprar presentes em comemoração ao Dia dos Pais, celebrado no dia 14 de agosto.

A pesquisa mostra ainda que a data deve injetar R$ 63 milhões no comércio do estado. O preço médio de cada presente é de R$ 126 na capital potiguar.

Confira o resultado da pesquisa em Natal:

  • Em 2022, 51,9% dos natalenses pretendem ir às compras para o dia dos pais. Em 2021, esse percentual era de 47,8%;
  • Produtos mais buscados: itens de vestuário (54,7%); calçados e acessórios (19,3%); perfumaria/cosméticos (16,8%); eletroeletrônicos ou celulares (5,4%); joias ou relógios (2,8%).
  • Em Natal, o gasto médio com presente será de R$ 126,43. O gasto é 5,8% nominalmente maior do que o revelado na pesquisa de 2021 (R$ 119,49).
  • Forma de pagamento: 54,1% pretendem pagar o presente à vista; 45,9% pretendem parcelar.
  • Locais de compra: 47,5% pretendem comprar os presentes em shoppings; 35,7% no comércio de rua; e 9,6% pretendem fazer as compras pela internet.
  • Entre as pessoas que vão presentear, 55,3% são mulheres e 48,3% são homens;
  • 65,4% das pessoas que pretendem presentear os pais têm idades entre 18 e 24 anos;
  • No quesito renda familiar, a intenção de consumo é maior entre os que possuem rendimentos acima de 10 salários mínimos (81,8%).

Confira o resultado da pesquisa em Mossoró:

  • Em 2022, 46,3% dos mossoroenses pretendem ir às compras para o dia dos pais. Em 2021, esse percentual era de 47,7%;
  • Produtos mais buscados: itens de vestuário (40,6%); perfumaria e cosméticos (26,5%); calçados e acessórios (20,9%) e eletroeletrônicos (6,4%).
  • Em Mossoró, o gasto médio com presente será de R$ 136,91. O gasto é 16,6% maior do que o revelado na pesquisa de 2021 (R$ 117,40).
  • Forma de pagamento: 43,8% pretendem pagar o presente à vista; 52,4% pretendem parcelar.
  • Locais de compra: 43,5% pretendem comprar os presentes no comércio de rua; 28,9% em shoppings; e 12,5% pretendem fazer as compras pela internet.
  • Entre as pessoas que vão presentear, 55,7% são mulheres.

Deu no G1

Economia

Longe do PT, BNDES volta ao ranking de empresas mais valiosas do Brasil

 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, o BNDES, voltou ao ranking das marcas mais valiosas do Brasil.

O dado é mapeado pela Brand Finance. Entre mais de 5 mil marcas monitoradas, o BNDES retorna à lista das cem principais empresas do Brasil depois de anos fora do levantamento.

A marca do banco de fomento está na 39ª posição com valuation em torno de 2,3 bilhões de reais.

Segundo o levantamento, que será divulgado nesta segunda-feira, 8, o valor total das 50 marcas mais valiosas do Brasil aumentou 12% se comparado ao ano anterior.

O setor bancário continua em destaque, com 13 marcas no ranking, representando 31% do valor total das marcas.

Deu no Terra Brasil Notícias

Economia

Mercado financeiro reduz previsão da inflação no Brasil pela 6ª vez consecutiva

 

Projeção inflacionária para 2022 passou de 7,15% para 7,11%, segundo o BC. A previsão do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerada a inflação oficial do país, caiu de 7,15% para 7,11% neste ano. É a 6ª redução consecutiva da projeção.

A estimativa está no Boletim Focus desta segunda-feira (8), pesquisa divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC), com a expectativa de instituições para os principais indicadores econômicos. Para 2023, a expectativa de inflação ficou em 5,36%. Para 2024 e 2025, as previsões são de 3,3% e 3%, respectivamente.

A previsão para 2022 está acima da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 3,5% para este ano, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é de 2,25% e o superior de 5,25%.

Em junho, a inflação subiu 0,67%, após a variação de 0,47% registrada em maio. Com o resultado, o IPCA acumula alta de 5,49%, no ano, e 11,89%, em 12 meses.

Os dados de julho devem ser divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística amanhã (9), mas o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15), a prévia da inflação oficial, registrou inflação de 0,13% no mês passado, menor que a de junho (0,69%).

Taxa de juros

Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, definida em 13,75% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom). A taxa está no maior nível desde janeiro de 2017, quando também estava em 13,75% ao ano.

Para o mercado financeiro, a expectativa é de que a Selic encerre o ano nesse patamar. Para o fim de 2023, a estimativa é de que a taxa básica caia para 11% ao ano. E para 2024 e 2025, a previsão é de Selic em 8% ao ano e 7,5% ao ano, respectivamente.

PIB e câmbio

As instituições financeiras consultadas pelo BC elevaram a projeção para o crescimento da economia brasileira este ano de 1,97% para 1,98%.

Para 2023, a expectativa para o Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – é de crescimento de 0,4%. Em 2024 e 2025, o mercado financeiro projeta expansão do PIB em 1,7% e 2%, respectivamente.

A expectativa para a cotação do dólar manteve-se em R$ 5,20 para o final deste ano. Para o fim de 2023, a previsão é de que a moeda americana também fique nesse mesmo patamar.

Deu no Conexão Política

Economia

Golpes bancários disparam e devem gerar prejuízos de R$ 2,5 bilhões neste ano

 

O volume de golpes no sistema financeiro nacional deverá alcançar a expressiva marca de R$ 2,5 bilhões neste ano. E a estimativa é de que parte considerável desse montante (cerca de R$ 1,8 bilhão, ou mais de 70%) tenha a ver com o Pix, o sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central (BC) que entrou em operação em 2020 e que rapidamente se popularizou.

A estimativa dos bancos para o fechamento de 2022, obtida pelo Estadão, leva em conta os dados até junho – período em que as fraudes já somavam R$ 1,7 bilhão, sendo R$ 900 milhões por meio do Pix.

Fontes do sistema financeiro afirmam que esse número, no entanto, pode estar subestimado, uma vez que nem todos os golpes são reportados aos bancos pelos clientes. Oficialmente, não existe um número consolidado, mas, com o aumento da digitalização das operações durante a pandemia, a estimativa é de que as fraudes tenham triplicado em dois anos.

Um levantamento feito pela Serasa Experian mostrou que, em maio de 2021, um total de 331,2 mil brasileiros foram vítimas de algum tipo de fraude, sendo que mais de 176 mil ocorrências (53,3%) foram realizadas a partir de contas bancárias ou cartões de crédito – dois meses antes, em março, esse número era de 79,9 mil. O estudo analisa números relacionados a crimes como utilização indevida de identidade e abertura de contas e emissão de cartões sem autorização.

Braço antifraude do serviço de monitoramento de crédito Boa Vista, a Konduto também identificou a gravidade do problema: apenas de janeiro a abril deste ano, foram cerca de 9 milhões de tentativas de fraude no comércio relacionadas à clonagem de cartões de crédito e a roubo de dados pessoais. Só em abril foram 2 milhões de ocorrências, alta de 117% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

Além do roubo de dados por hackers, outro tipo de crime que tem crescido no País é a fraude classificada como “engenharia social”, que consiste na manipulação psicológica do usuário para que ele forneça informações confidenciais, como senhas de cartões e de contas.

Levantamento recente da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) apontou uma alta de 165% nesse tipo de golpe desde o início da pandemia. Neste ano, 1 em cada 3 brasileiros sofreu uma tentativa de golpe desse tipo, aponta a associação.

As fraudes financeiras são um problema global que parece, comparativamente, mais grave no Brasil. Em um estudo de fevereiro de 2022, a IBM revelou que 31% dos brasileiros afirmaram ter sofrido algum tipo de golpe relacionado a cartões de crédito no ano anterior. Na Alemanha, por exemplo, esse número foi de 7% e, nos EUA, de 18%.

Deu no Estadão

Economia

Auxílio Gás começa a ser pago nesta terça; Nordeste segue com o maior número de beneficiários

Foto: Reprodução/RBS TV

Começa nesta terça-feira (9), o pagamento do Auxílio Gás no valor de R$ 110 a 5,6 milhões de famílias. O pagamento, que foi antecipado, originalmente ocorreria no período de pagamento seria de 18 a 31 de agosto.

O valor médio integral da unidade do botijão será pago nos meses de agosto, outubro e dezembro. Em janeiro de 2023, as famílias voltarão a receber o valor médio de 50% do botijão de gás de 13 kg.

O Nordeste é a região com maior número de beneficiários, com 2,7 milhões de famílias com direito a receber o benefício em agosto. Na sequência estão as regiões Sudeste (1,8 milhão), Norte (545 mil), Sul (356 mil) e Centro-Oeste (180 mil).

Do total de 5,6 milhões de beneficiários em agosto, 4,8 milhões estão em lares em que o responsável familiar é mulher (86%).

Com informações do G1

Economia

Natal tem maior redução no preço da cesta básica em julho, diz Dieese

 

O preço da cesta básica caiu 3,96% no mês de julho em Natal, no comparativo com junho. Os dados estão na Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, divulgado na sexta-feira (5) pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

É a maior redução entre as 17 capitais pesquisadas: Natal (-3,96%), João Pessoa (-2,40%), Fortaleza (-2,37%) e São Paulo (-2,13%).

No ranking dos maiores preços, Natal ocupou a 14ª posição entre as 17 capitais, com o valor de R$ 587,58. Na comparação com julho de 2021, a cesta teve alta de 16,01%. Na variação acumulada ao longo do ano, o aumento foi de 10,96%.

Segundo o Dieese, em julho, entre os 12 produtos que compõem a cesta básica, cinco tiveram aumento nos preços médios na comparação com o mês anterior: leite integral (30,95%), feijão carioquinha (1,58%), pão francês (1,09%), arroz agulhinha (0,17%) e manteiga (0,14%).

Outros sete produtos apresentaram redução nos preços: tomate (-31,14%), óleo de soja (-6,30%), banana (-5,05%), farinha de mandioca (-2,36%), carne bovina de primeira (-2,03%), açúcar refinado (-1,46%) e café em pó (-1,27%).

O levantamento apontou ainda que, no acumulado dos últimos 12 meses, 11 dos 12 produtos da cesta tiveram alta: café em pó (58,69%), leite integral UHT (54%), banana (37,56%), feijão carioquinha (27,37%), óleo de soja (24,58%), farinha de mandioca (23,01%), açúcar refinado (19,19%), pão francês (16,49%), tomate (13,65%), manteiga (13,43%) e carne bovina de primeira (4,97%). Apenas o arroz agulhinha acumulou taxa negativa (-8,09%).

Economia

Bolsonaro chama Imposto de Renda de “redutor de renda” e defende correção na tabela

 

O presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a falar que o governo irá trabalhar a correção na tabela do Imposto de Renda. Segundo ele, o percentual ainda não foi definido, mas a mudança está “garantida”.

Este é o sétimo ano seguido em que a tabela não é ajustada. Também não houve aumento nas deduções permitidas, como aquelas relacionadas a dependentes ou à educação.

Durante transmissão ao vivo nas redes sociais, o atual titular do Palácio do Planalto disse que a tabela do Imposto de Renda vem se transformando em “redutor de renda”.

“Agora está garantido com a equipe econômica. Vamos conversar. Não vou dizer o percentual ainda porque ainda não batemos o martelo. Mas vamos corrigir a tabela do Imposto de Renda, que, cada vez mais, vem se transformando não em tabela de Imposto de Renda, mas sim em redução de renda”, ressaltou.

De acordo com interlocutores, a equipe econômica quer elevar a faixa de isenção do IR – de R$ 1,9 mil para R$ 2,5 mil.

A proposta original de Bolsonaro consistia em isentar todos os brasileiros que ganhassem até cinco salários mínimos (pouco menos de R$ 5 mil na época de sua eleição).

Informações do Metrópoles

Economia

Petrobras reduz preços de venda de diesel para as distribuidoras

 

A partir da sexta-feira (5), o preço médio de venda de diesel A vai ficar mais baixo. A Petrobras anunciou que o preço para as distribuidoras passará de R$ 5,61 para R$ 5,41 por litro, uma redução de R$ 0,20 por litro.

Considerando a mistura obrigatória de 90% de diesel A e 10% de biodiesel para a composição do diesel comercializado nos postos, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor passará de R$ 5,05, em média, para R$ 4,87 a cada litro vendido na bomba. O preço final ao consumir, contudo, beira os R$ 8 no Rio Grande do Norte.

Essa redução, de acordo com a Petrobras, acompanha a evolução dos preços de referência, que se estabilizaram em patamar inferior para o diesel, e “é coerente com a prática de preços da Petrobras, que busca o equilíbrio dos seus preços com o mercado global, mas sem o repasse para os preços internos da volatilidade conjuntural das cotações internacionais e da taxa de câmbio”.

Comparação 

Diferentemente dos esforços do governo para abaixar o preço da gasolina nos postos, o preço do óleo diesel continua tendo uma trajetória de alta e não havia sinais de que pudesse cair.

O litro do diesel vem subindo desde dezembro de 2021. Hoje, o preço médio do litro do óleo diesel nos postos do Brasil é de R$ 7,42. Em Natal, o valor chega a ser de R$ 7,79. O valor é mais que o dobro dos R$3,69 registrados pela pesquisa da ANP em janeiro de 2021.

Deu na Tribuna do Norte