Notícias

UFRN, Ufersa e IFRN não conseguem fechar contas de 2023 e pedem mais recursos ao MEC

Reitor da UFRN e vice-presidente da Andifes, Daniel Diniz - Foto: Cícero Oliveira / UFRN

 

Todas as 69 universidades federais do País estão com dificuldades para fechar as contas de 2023, entre elas, a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), além do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do RN (IFRN).

O reitor da UFRN e vice-presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), Daniel Diniz, foi um dos nomes que assinou a nota e afirmou que a universidade passa por dificuldades para fechar as contas e pode ter complicações novamente no ano que vem caso o repasse de recursos continue no valor esperado.

“A gente está trabalhando incansavelmente junto ao Congresso porque estamos buscando uma complementação porque o que está previsto é um orçamento quase igual ao deste ano, mas este ano as universidades estão praticamente todas sem conseguir pagar as contas, inclusive a nossa”, afirmou.

Em 2023, o repasse feito para a UFRN foi de cerca de R$ 177 milhões ao todo e, para o ano que vem, a previsão é de R$ 179 milhões, valor que foi previsto após o ajuste que soma R$ 2 milhões no orçamento dos cursos técnicos, de acordo com Diniz. “Se em 2024 a gente tiver o mesmo orçamento e a gente já entrar o ano com alguma dívida deste, fica claro que não vamos conseguir fechar o ano com o orçamento que está previsto”, argumentou.

No caso da UFRN, as maiores dificuldades enfrentadas são para pagar fornecedores e contas de energia elétrica, segundo o reitor. Ele afirmou que, quando o orçamento é insuficiente, é priorizado o pagamento das bolsas estudantis e das empresas terceirizadas e, em seguida, são realizados os pagamentos de fornecedores e de contas como de energia elétrica, uma das despesas mais altas da universidade e que está sempre em atraso, segundo Diniz.

O IFRN também é uma das instituições de ensino que afirmou precisar de melhorias no cenário orçamentário para 2024. Por meio da Pró-Reitoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional (Prodes), o Instituto relatou que dentre os recursos institucionais, destacam-se despesas correntes, despesas de investimento, reestruturação, assistência estudantil e emendas parlamentares.

A Prodes relatou que o orçamento do instituto tem “várias rubricas, sendo cada uma vinculada a uma área específica”. Somente para as despesas correntes foi utilizado um valor de quase R$ 63 milhões. Para custos de funcionamento e reestruturação em investimento, o montante total utilizado foi de cerca de R$ 5,7 milhões. E em relação à assistência estudantil, como bolsas e auxílios, foram quase R$ 20 milhões. Além disso, o IF recebeu recursos no valor de quase R$ 10 milhões oriundos do Ministério da Educação (MEC) por meio do sistema coleta, que possibilitou a instalação de usinas fotovoltaicas e ações de infraestrutura.

Já a Ufersa afirmou por meio da assessoria de comunicação que não teve dificuldades relacionadas ao orçamento e conseguiu equilibrar as contas, no entanto, também compactua com a solicitação para a recomposição orçamentária de 2024 realizada pela Andifes. A universidade teve um custeio de quase R$ 40 milhões somente em 2023 e, em 2024, tem a previsão de um valor de cerca de R$ 56 milhões.

“Não sobraram recursos, mas também não faltou”, anunciou a instituição, por meio da assessoria de comunicação, comunicando que não houve atrasos de pagamentos de fornecedores e empresas terceirizadas, bem como bolsas aos estudantes. A Ufersa disse ainda que na pandemia a gestão priorizou os auxílios emergências de R$ 450 para os estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica, manteve a isenção no Restaurante Universitário para os moradores da residência universitária e não enfrentou maiores dificuldades relacionadas ao repasse feito à instituição.

Fonte: Agora RN

Notícias

UFERSA abre curso para formação de piloto comercial; previsão de início em 2024

 

A Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA) anunciou, na última quinta-feira (19), o programa de extensão de alcance social “Pilotos do Semiárido”, que tem objetivo de proporcionar a formação completa de piloto comercial de avião. A ação é uma parceria com a Agência Nacional de Aviação (ANAC), com incentivos do Governo Federal no valor de R$ 3,7 milhões.

O curso tem previsão de duração de 36 meses (equivalente a três anos), com 20 vagas da primeira turma a ser iniciada a partir de 2024. A UFERSA informou que a assinatura do convênio com a ANAC vai acontecer em novembro, em data a ser confirmada, numa solenidade em Brasília.

Com isso, o Rio Grande do Norte terá a primeira Universidade pública do país a oferecer um curso de formação de piloto de avião. Ele será totalmente gratuito e voltado para pessoas com formação acadêmica de nível superior e que sejam provenientes de famílias de baixa renda. Outra exigência é de que 50% das vagas sejam preferencialmente para mulheres.

A escolha dos candidatos que vão integrar o curso será feita mediante um edital de seleção a ser realizada pela Universidade e, numa segunda etapa, por meio de uma prova a ser aplicada pela ANAC. Todas as ações e metas do Programa serão executadas pela UFERSA e pela ANAC.

A formação em piloto de avião tem como base três pilares: licença de piloto comercial de avião, conhecimento técnico da língua inglesa e, formação acadêmica de nível superior. A formação prática da formação será num Centro de Instrução de Aviação Civil (CIAC), a ser instalado nas dependências do aeroporto de Mossoró.

Deu na Tribuna do Norte

Notícias

Estudantes da Ufersa chegam ao Brasil em quarto voo com resgatados de Israel

 

Os estudantes potiguares da Ufersa desembarcaram neste sábado no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, por volta das 2h44.

Eles estavam na aeronave KC-30, do Governo Federal, no quarto voo de repatriação de brasileiros em Israel. Com a chegada do voo, já são 701 os brasileiros repatriados em uma semana, desde que teve início o conflito no Oriente Médio, no último sábado (07).

Eles devem chegar a Mossoró ainda no fim da tarde deste sábado.

A aeronave aterrissou sob o canto do Hino Nacional e de aplausos dos passageiros no início da madrugada deste sábado, às 2h44, no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. Na cabine, 207 brasileiros, dois cachorros e dois gatos.

Notícias

Estudantes potiguares já estão em aeroporto em Israel e aguardam voo de repatriação

 

Os dois estudantes da Ufersa, Roosevelt Júnior e Francisco das Chagas, aguardam com outros brasileiros no aeroporto de Tel Aviv o momento de embarque para o Brasil. Eles fizeram o percursso até o ponto de embarque por terra e com tranquilidade. Os estudantes estavam em uma cidade à 3 horas de distância de Tel Aviv, localizada no extremo sul do país.

A equipe da 98 FM entrou em contato com os estudantes e eles informaram que a previsão de embarque é às 11h30 horário de Brasília (17h30 em Israel), mas que atrasos podem ocorrer, devido a situação dos conflitos.

Ainda não há informações sobre o local de desembarque dos estudantes no Brasil. A reitora da Ufersa, Ludmilla Oliveira, aguarda informações para tomar as providências e trazer os estudantes ao RN.

Deu no Portal da 98

Educação

Edital oferece 430 vagas em cursos de graduação

 

Os candidatos que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) nos anos de 2020, 2021 ou 2022 podem concorrer a vagas remanescentes em cursos de graduação da Universidade Federal Rural do Semi-árido (Ufersa).
São oferecidas 430 vagas distribuídas nos campi de Angicos, Caraúbas e Mossoró. As inscrições ficam abertas até às 17 horas do dia 17 de outubro somente por meio do formulário online divulgado pela Pró-reitoria de Graduação da Ufersa.
Todas as vagas são para o semestre letivo 2023.2, que terá início no dia 27 de novembro. Antes disso, até o dia 13 de novembro, os candidatos aprovados irão receber seus números de matrícula. As informações estão no site sisu.ufersa.edu.br
Confira o quadro de vagas:
 
Campus de Angicos 136 vagas
Computação e Informática 8 vagas
Interdisciplinar em Ciências e Tecnologia – Integral 100 vagas
Interdisciplinar em Ciências e Tecnologia – Noturno 28 vagas
Campus Caraúbas 147 vagas
Interdisciplinar em Ciências e Tecnologia – Integral 100 vagas
Interdisciplinar em Ciências e Tecnologia – Noturno 29 vagas
Letras – Português 18 vagas
Campus Mossoró 147 vagas
Ecologia 10 vagas
Engenharia Agrícola e Ambiental 6 vagas
Engenharia de Pesca 25 vagas
Engenharia de Petróleo 9 vagas
Interdisciplinar em Ciências e Tecnologia – Integral 97 vagas
Deu na TN
Notícias

Reitora perseguida pela esquerda é cortada de foto com Fátima Bezerra e Camilo Santana

 

A reitora da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), Ludimilla Oliveira, foi cortada de uma foto junto à governadora Fátima Bezerra, o ministro da Educação Camilo Santana, a senadora Zenaide Maia, e os reitores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e a Universidade Estadual do RN, José Daniel Diniz Melo e Cicilia Raquel Maia Leite.

A imagem foi publicada no portal de notícias da UFRN e, apesar de cortada, Ludimilla foi citada na matéria que relata o encontro de reitores e a entrega de uma carta ao titular da Educação na gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Na foto, é possível ver apenas o braço da reitora.

Indicada pelo ex-presidente, Jair Bolsonaro (PL), Ludimilla Serafim virou alvo da esquerda, tanto pela indicação, quanto pelos seus posicionamentos à frente do cargo.

Recentemente, a UFRN cassou o título de doutorado da professora Ludimlla Oliveira, alegando plágio na tese de conclusão da pós-graduação dela na área de arquitetura e urbanismo.

Uma liminar chegou a concedida pela Justiça Federal à professora que suspendeu a solicitação de destituição do cargo de reitora da Ufersa.

Deu no Portal da 96

Notícias

Justiça suspende pedido de destituição de reitora da UFERSA vítima de perseguição ideológica

 

A 10ª Vara da Justiça Federal do Rio Grande do Norte concedeu liminar suspendendo os efeitos da deliberação do Conselho Universitário (Consuni)  que determinou  a destituição da professora Ludimilla Carvalho Serafim da reitoria da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), localizada em Mossoró, região Oeste do Estado.

Serafim impetrou um mandado de segurança com o intuito de suspender os efeitos da decisão do Consuni enviada ao MEC. Entre os motivos apresentados, ela aponta ilegalidades, como a não competência do Consuni para indicar destituição, vício na formação da comissão do Consuni para a decisão e o cerceamento da defesa.

Em Nota à imprensa, o Gabinete da Reitoria informou que a UFERSA foi avisada da decisão judicial ainda nesta quarta-feira (16), e que a instituição “comunicará ao CONSUNI o teor da decisão para providências legais cabíveis”.

Durante a 12ª Reunião Extraordinária, o Consuni decidiu, no dia 31 de julho, pelo encaminhamento de um ofício ao MEC solicitando a destituição da professora Ludimilla Carvalho Serafim de Oliveira do cargo de reitora da UFERSA.

Ludimilla Serafim foi alvo de processo de destituição no Consuni, após seu título de doutorado ter sido anulado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) por alegação de plágio em 44% de sua tese.

Deu na Tribuna do Norte

Notícias

Juiz nega afastamento e reitora da Ufersa é mantida no cargo

Plágio: Em carta com tom pessoal, reitora da Ufersa convoca reunião que  pode afastá-la do cargo - Saiba Mais

 

O juiz federal Fabrício Ponte de Araújo indeferiu o pedido do Ministério Público Federal (MPF) para afastar Ludimilla Carvalho Serafim de Oliveira, reitora da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), sob a acusação de abuso de poder e intimidação. O pedido do MPF, denominado tutela cautelar de caráter antecedente, buscava garantir o desfecho do processo em questão.

O procurador da República Emanuel de Melo Ferreira solicitou o afastamento em 30 de junho, alegando um histórico de intimidação por parte de Ludimilla, bem como o interesse dela em destruir documentos relevantes para a investigação relacionada a gratificações recebidas pela reitora pelo título de doutorado, o qual foi cassado devido a plágio.

Em um e-mail enviado aos membros do Conselho Universitário (Consuni) da Ufersa, Ludimilla deu autorização para a solicitação de sua pasta funcional e ordenou que ela fosse queimada, sugerindo que as cinzas fossem depositadas nas Cajaranas da Fazenda Experimental.

No mesmo documento, ela mencionou os procedimentos que o Consuni deveria seguir caso ocorresse sua morte. A reunião do Conselho ocorreu em 27 de junho, quando ficou decidido que uma Comissão seria formada para avaliar a destituição de Ludimilla do cargo de reitora devido à perda do título de doutorado.

O juiz Ponte de Araújo argumentou que a interferência do Judiciário nas Instituições de Ensino Superior (IES) deve ser uma medida excepcional, exigindo critérios rigorosos de avaliação.

De acordo com o juiz, é necessário apresentar um risco real à instituição para justificar o afastamento da reitora da Ufersa. Ele observou que não existem obstáculos na coleta das provas já reunidas e não identificou nenhum silenciamento ou ocultação de documentos.

O magistrado ressaltou que a reunião extraordinária de 2023, na qual a destituição da reitora foi discutida, transcorreu dentro das formalidades e dos trâmites legais, não indicando qualquer intimidação por parte dos membros do Consuni, mas sim uma participação ativa.

Ele destacou a necessidade de uma investigação mais aprofundada dos argumentos apresentados pelo procurador. Ludimilla, como reitora da Ufersa, terá um prazo de 15 dias para apresentar sua defesa antes que uma decisão final seja proferida.

Deu no Portal da 96

Concursos, Notícias

UFERSA divulga concurso público com remuneração total de mais de R$ 11 mil

A Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), localizada no Estado do Rio Grande do Norte, está promovendo um concurso público com o intuito de preencher 11 vagas para a posição de professor de magistério superior. Os selecionados receberão uma remuneração de R$ 4.875,18 para uma carga horária de 40 horas semanais, além de uma retribuição por titulação no valor de R$ 5.606,46 e um auxílio alimentação de R$ 658,00. Dessa forma, o valor total da remuneração poderá atingir R$ 11.139,64.

As inscrições devem ser realizadas por meio deste site, a partir do dia 5 a 19 de julho de 2023, com a taxa sendo de R$ 260,00. O Candidato pode requerer a isenção da taxa de inscrição entre os dias 5 a 7 de julho de 2023.
A avaliação se dará em prova objetiva, prova didática e teste de títulos. As provas estão previstas para serem realizadas entre os dias 13 de agosto a 13 de setembro de 2023.
O candidato terá prazo recursal de 24 horas, contra o resultado preliminar de cada etapa do certame, como também contra atos da Banca Examinadora do concurso, a contar do momento de publicação do resultado de cada etapa no site. O Concurso Público terá validade de dois anos, podendo ser prorrogado por período igual.
As vagas serão para Fisiologia da Produção; Fisiologia de Culturas Agrícolas (1); Doenças Infecciosas dos Animais Domésticos; Doenças das Aves; Doenças dos Suínos e Defesa Sanitária Animal (1); Matemática Discreta, Lógica, Teoria da Computação, Algoritmo e Estrutura de Dados e Cálculo Numérico (1); Administração Pública (1); Administração Geral Crítica (1); Introdução à Física, Mecânica Clássica, Termodinâmica, Ondas e Fluidos, Eletromagnetismo, Óptica, Física, Estatística, Equações diferenciais aplicadas à Física; Linguagem de programação aplicada à Física; Métodos matemáticos aplicados à Física; Relatividade, Mecânica Quântica, Física e Ambiente (1); Introdução à Física; Mecânica Clássica, Termodinâmica, Ondas e Fluidos, Eletricidade e Magnetismo, Prática Pedagógica no ensino de Física, Pesquisa de Ensino de Física, Tecnologias para o ensino de Ciência, Ciência para educação básica, Física e Ambiente (2); Introdução à Física, Mecânica Clássica, Termodinâmica, Ondas e Fluidos, Eletromagnetismo, Óptica, Física Estatística, Equações diferenciais aplicadas à Física, Métodos matemáticos aplicados à Física, Relatividade, Mecânica Quântica, Física e Meio Ambiente (2); Cálculo Diferencial e Integral, Geometria Analítica e Álgebra Linear, Cálculo Numérico e Equações diferenciais (1).
Deu na TN
Notícias

Ufersa prorroga suspensão de atividades presenciais até 31 de março; UFRN volta na segunda (27)

 

A Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa) decidiu manter as atividades em formato online até o dia 31 de março, segundo decisão tomada pelo conselho da instituição nesta quinta-feira (23). Em outras instituição de ensino superior do estado, como a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), a previsão é de retorno na próxima segunda-feira (27).

As aulas presenciais foram suspensas nas instituições desde o início dos ataques criminosos contra prédios públicos, veículos e comércios do estado, no dia 14 de março.

Em reunião extraordinária realizada na tarde desta quinta-feira (23), o Conselho Superior da Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa), decidiu prorrogar o período de atividades online na instituição, entre os dias 27 e 31 de março. Uma novidade da reunião foi a possibilidade de os docentes realizarem avaliações no formato não presencial na próxima semana. A universidade é sediada em Mossoró.

Os conselheiros também decidiram que as atividades administrativas consideradas não essenciais continuarão a ser realizadas de maneira online, salvo nas situações em que as chefias imediatas realizem a convocação para trabalho presencial mediante justificativa. A instituição levou em consideração um levantamento que apontou que mais de 70% dos estudantes eram favoráveis à prorrogação do prazo de atividades online.

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte, sediada em Natal, decidiu marcar o retorno às atividades presenciais para a próxima segunda-feira (27). No último comunicado sobre o assunto, a instituição afirmou que “continuará acompanhando a situação junto às autoridades competentes” e, caso as condições de segurança e de oferta de transporte público não estejam normalizadas, emitirá um novo comunicado.

Já a Universidade Estadual do Rio Grande do Norte iniciou um plano de retomada gradativa a partir da quinta-feira (23) e com retorno pleno das aulas marcado para a segunda-feira (27). Foram retomadas as atividades essenciais acadêmicas e administrativas, sob a responsabilidade e indicação dos departamentos acadêmicos, comissões de residências e diretorias.

Porém, de acordo com o G1, a assessoria da instituição informou que uma reunião sobre o assunto está marcada para a tarde desta sexta-feira (24) e uma nova decisão poderá ser anunciada. A universidade leva em consideração o fato de ter muitos alunos que dependem dos ônibus escolares fornecidos pelos municípios.

Deu no g1