Comércio, Tecnologia

BMW confirma a produção de dois novos veículos no Brasil

A BMW confirma que fabricará a nova geração do X1 e o reestilizado Série 3 no Brasil, na planta de Araquari, em Santa Catarina. Ambos os modelos contaram também com desenvolvimentos globais de engenharia apoiados pelo time localizado aqui. Juntos, os dois possuem mais de 25% do mercado premium do país.

“Seguiremos com foco nos clientes a nacionalizar o desenvolvimento mundial e a produção local dos modelos líderes de mercado premium nacional. Antecipamos este anúncio de forma a agradecer a preferência dos clientes e a valorizar os cerca de mil colaboradores que temos no país”, aponta Aksel Krieger, presidente do BMW Group Brasil.

A planta do BMW Group em Araquari tem área total de 1,5 milhão de metros quadrados, sendo 112.893m² de área construída. A infraestrutura local abriga processos completos de produção automotiva com áreas de carroceria, soldagem, pintura, montagem e logística, como também laboratórios, prédios administrativos e auxiliares.

Além disso, a unidade nacional, que é a maior fábrica de veículos premium do continente, é co-sede, juntamente com o escritório da empresa em São Paulo, do único Centro de Engenharia Global do BMW Group na América do Sul.

“Confirmar a produção de novos modelos, apenas dois meses após as respectivas apresentações na Europa, reforça a confiança que a matriz tem em nosso time para produzir com tecnologia, qualidade e paixão no Brasil. A produção do novo Série 3 começa em setembro e a nova geração do X1 será anunciada em breve”, afirma Otávio Rodacoswiski, diretor geral da planta da BMW em Araquari.

A produção dos modelos mais vendidos pela BMW no Brasil e líderes em seus segmentos, que conta com o apoio substancial de fornecedores locais, sendo alguns deles, inclusive, operando dentro da planta de Araquari (SC), faz parte do aporte de R$ 500 milhões divulgado pelo BMW Group em novembro passado.

Comércio, Notícias

Atividades da Central do Cidadão da ZN serão suspensas para mudança de sede

A partir desta segunda-feira, 27, as atividades da Central do Cidadão da Zona Norte, que acontecem no Shopping Estação, serão suspensas para a realização da mudança da sede. A unidade irá funcionar na Avenida João Medeiros Filho, número 896, no bairro Potengi.

A partir do dia 04 de julho o funcionamento voltará ao normal já no novo endereço.

Durante toda a semana, não terá atendimento ao público atendido pela Central do Cidadão da ZN. É orientado aos moradores que busquem os serviços em outras unidades. São elas: Central do Cidadão de São Gonçalo do Amarante; Central do Cidadão do Alecrim ou Central do Cidadão da Zona Sul.

Comércio, Economia

Câmara deve votar nesta quarta-feira projeto que limita ICMS sobre energia e combustíveis

 

A Câmara dos Deputados deve votar nesta quarta-feira, 25, o projeto que limita o ICMS(Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação) sobre oscombustíveis e a energia elétrica. Sem acordo, a votação foi adiada anteriormente na Casa. O texto em discussão estabelece uma alíquota máxima de 17% do imposto sobre combustíveis, energia elétrica, telecomunicações e transporte. Os quatros itens responderam por cerca de um terço do total arrecadado nos três primeiros meses deste ano. No entanto, a matéria é polêmica e coloca em lados opostos a União, que considera o ICMS um empecilho para a redução da gasolina, por exemplo, e os governadores, que não querem perder arrecadação. Em alguns locais, o imposto sobre combustíveis ultrapassa 30% e fica em 21% em média na conta de luz.

Comércio, Educação

Programa de Qualificação para Exportação realiza capacitação gratuita para empreendedores potiguares

Marketing e Identidade Visual para Exportação. Este é o tema da capacitação de maio do Programa de Qualificação para Exportação (PEIEX). Realizada pela Agência Brasileira de Promoção às Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), parceira com a Universidade Potiguar (UnP), a iniciativa busca auxiliar empreendedores potiguares a firmar negócios internacionais.

A capacitação é aberta ao público e acontece no próximo dia 25, às 19h, no auditório da UnP da Unidade Roberto Freire, em Natal. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas em www.unp.br/eventos.

O evento terá como convidado o Chief Marketing Officer da Mater Comex, Alexandre Rocha. Ele apresentará conceitos chave de marketing voltado para exportação e internacionalização, além de analisar estratégias para melhorar a identidade visual de empresas para o comércio exterior.

Comércio, Guerra

EUA e aliados anunciam novas sanções contra a Rússia

O presidente dos EUA, Joe Biden, e os líderes do G7 se encontraram virtualmente com o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky neste domingo (8) e discutiram mais ações que os aliados podem tomar contra a Rússia.

As medidas incluem sanções contra os três maiores canais de televisão da Rússia e um compromisso de todos os membros do G7 para eliminar as importações de petróleo do país, de acordo com um membro do governo norte-americano.

“Isso [as ações] já é um fracasso para Putin, e continuaremos a homenagear a luta corajosa que está ocorrendo pelo povo da Ucrânia e ouvir o presidente Zelensky”, disse o funcionário a repórteres antes da reunião do presidente.

A fonte acrescentou que, embora os líderes “façam o balanço da situação atual”, a reunião  também destacará como o presidente russo Vladimir Putin  “desonra” os sacrifícios feitos por cidadãos russos, milhões de quais sacrificaram suas vidas para derrotar o fascismo durante Segunda Guerra Mundial.

Vale destacar que neste domingo é celebrado o “Dia da Vitória” na Rússia, data que marca o momento em que os soviéticos derrotaram os alemães na Segunda Guerra Mundial.

Putin está desonrando esses sacrifícios [dos antigos soviéticos que perderam suas vidas na guerra] espalhando suas mentiras, sua desinformação sobre a barbárie que ele está cometendo na Ucrânia … é realmente uma chance de falar a verdade e demonstrar nossa unidade contínua”, disse a fonte do governo.

As novas sanções reveladas pelos Estados Unidos neste domingo cortarão os meios de comunicação controlados pelo Kremlin de anunciantes e tecnologia de produção dos EUA, proíbem a Rússia de usar serviços fornecidos pelo país como gerenciamento ou consultoria e contabilidade corporativa, além de impor novos controles de exportação contra o russo setor industrial.

O anúncio também inclui cerca de 2.600 restrições de visto às autoridades russas e bielorrussas, e as primeiras sanções contra executivos do Gazprombank — a  empresa que a maior parte da Europa compra gás russo.

“Em conjunto, as ações de hoje são uma continuação da remoção sistemática e metódica da Rússia do sistema financeiro e econômico global. E a mensagem é que não haverá porto seguro para a economia russa se a invasão de Putin continuar ”, disse o funcionário do governo aos repórteres.

Sanções

A série de sanções americanas e ocidentais que foram impostas desde a invasão da Ucrânia pela Rússia em 24 de fevereiro levaram a economia russa a uma profunda recessão, pois faz a difícil transição para se tornar uma economia fechada.

As três redes de televisão sendo sancionadas pelos EUA neste domingo — o canal Rússia 1, a estação de televisão Russia-1 e a NTV Broadcasting Company — receberam mais de US $ 300 bilhões em receita de publicidade dos países ocidentais no ano passado, segundo o funcionário.

“Não teremos o negócio de ajudá-los a transmitir as mentiras e o engano que você ouve de Putin todos os dias”, disse ele.

No entanto, de acordo com a fonte, os EUA decidiram continuar a permitir a busca do “devido processo legal”, mas o governo continuará a reavaliar isso “todos os dias”. O funcionário observou que o Reino Unido também não instituiu essa proibição.

O membro do governo dos EUA também fez questão de observar que as sanções contra os executivos do GazPrombank são exatamente isso, ações contra líderes da importante instituição financeira e não uma sanção completa contra o próprio banco, com os quais os europeus devem fazer negócios para continuar a comprar gás russo.

“Este não é um bloqueio completo. Não estamos congelando os ativos do Gazprombank ou proibindo quaisquer transações com o banco. O que estamos sinalizando é que o Gazprombank não é um refúgio seguro. Então, estamos sancionando alguns dos principais executivos de negócios, são as pessoas que se sentam no topo da organização, para criar um efeito assustador “, disse esse funcionário.

A decisão de restringir as exportações de produtos industriais para a Rússia visa dificultar a capacidade industrial e a capacidade de guerra do Kremlin, semelhante à maneira como as restrições ocidentais aos microchips estão limitando a capacidade da Rússia de fazer mísseis guiados de precisão.

Além da proibição de exportação aos serviços industriais russos, os EUA também sancionaram o Promtekhnologiya LLC, que produz armas, como rifles, usados ​​pelas forças russas na Ucrânia, e a Comissão Reguladora Nuclear também não permitirá mais a exportação de urânio, plutônio ou outro produtos relacionados à energia nuclear.

Deu na CNN

Comércio

Viação Itapemirim é proibida de operar pela ANTT

 

Muita atenção você que costuma viajar pela Itapemirim: A Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT) anunciou nesta quarta-feira (20/04) a suspensão de todas as linhas da Viação Itapemirim.

A empresa de ônibus, que está em recuperação judicial, precisa apresentar aditivo de seu plano de recuperação judicial nesta quarta, dia em que vence o prazo dado na última segunda-feira pelo juiz João Rodrigues Filho, da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo. Caso não o faça, o juiz decretará a falência da empresa.

A portaria da ANTT é uma medida cautelar. Ela foi tomada pelo superintendente de Fiscalização de Serviços de Transporte Rodoviário de Cargas e Passageiros da agência, Felipe Ricardo da Costa Freitas. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União. Ela ficará em vigor até que exista decisão do mérito sobre irregularidades da situação da empresa e de seus ônibus.

A Itapemirim poderá fazer as viagens já vendidas no prazo de 30 dias, contados a partir desta quarta-feira. A empresa não tem pago funcionários, tampouco tem cumprido seu plano de recuperação judicial. A dívida fiscal da empresa já chega a 2 bilhões de reais.

Comércio

RN perdeu R$ 30 milhões com suspenção da diferença de ICMS

ICMS/RN – Governo retira da substituição tributária os setores de autopeças  – Correio Mecânico

 

O Rio Grande do Norte deixou de arrecadar cerca de R$ 30 milhões nos três primeiros meses de 2022 com a suspensão da cobrança do diferencial de alíquota do ICMS sobre os produtos que são comercializados pela internet com origem em outros estados para consumidores locais. A cobrança do tributo no e-commerce estava suspensa por força de uma decisão do STF que entendeu necessitar de uma lei complementar para que os estados pratiquem a cobrança, que voltou a vigorar no dia 1º de abril.

“A gente teve uma perda mensal na casa de R$ 8 milhões a R$ 10 milhões com a suspensão que ocorreu desde o final do ano passado. Voltamos a fazer a cobrança agora, desde o início do mês de abril, numa parametrização do sistema da Secretaria. Quando essas notas são emitidas para o estado, automaticamente é feita essa cobrança”, explicou o secretário de estado da Tributação, Carlo Eduardo Xavier.

Antes de 2015 e do boom substancial das vendas online no Brasil, o percentual do ICMS era arrecadado somente para o estado onde a empresa vendedora estava localizada.

Contudo, muitos estados estavam sendo prejudicados em relação ao recolhimento desse imposto devido a competitividade das vendas virtuais.

A partir dessa situação, os estados passaram a praticar o diferencial de alíquota, batizado de Difal, por meio de um convênio para garantir um maior equilíbrio no recolhimento de impostos no país. A medida visava um equilíbrio nas contas, já que existe uma diferença na cobrança de ICMS entre os estados, o que fazia as pessoas e empresas comprarem produtos onde o imposto fosse menor.

Comércio

Segundo o CNC, mais de 90% das famílias estão endividadas em Natal

 

O número de famílias natalenses em situação de endividamento e inadimplência teve leve redução de 0,3% em março, segundo dados da Confederação Nacional do Comércio (CNC), e chegou a 90,4%. A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) mostra que, depois de bater recordes em fevereiro, o índice teve no mês passado a primeira redução desde novembro de 2021.

Em números absolutos,  238.270 famílias natalenses possuem dívidas a vencer como financiamento do carro ou imóvel, cartão de crédito, entre outros. Em fevereiro, no pior mês da série histórica, segundo os dados do CNC,  o índice de famílias endividadas chegou a ser de 90,7%.

O número do terceiro mês do ano apresenta uma redução após quatro altas mensais consecutivas – novembro (86,3%) e dezembro (88%) de 2021, além de janeiro (89,6%) e fevereiro (90,7%) deste ano.

Houve redução no percentual de famílias que já estão com as contas em atraso, saindo de 40,8% para 39,6%. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, o índice de famílias nesta mesma condição aumentou de 38,2% para 39,6%. As famílias que já estão com suas contas em atraso caíram de 107.383 em fevereiro para 104.312 em março.

O CNC também mostrou que o percentual de famílias da capital que informaram que não terão condições de pagar suas contas aumentou de 9,6% em fevereiro para 9,7% em março. E na comparação com março do ano passado, o crescimento foi ainda maior, quando atingiu 3,9%. O  número absoluto de famílias que não terão condições de pagar as dívidas alcançou 25.699.

Por tipo de dívida, mais uma vez o cartão de crédito (95,2%) lidera; seguido pelos carnês (28,9%), financiamento do carro (24,2%) e da casa (20,4%).

Entre as famílias com contas já em atraso, o tempo médio desta inadimplência saiu de 61,2 dias em fevereiro para 60,2 em março. E entre os endividados de maneira geral, o comprometimento médio com as dívidas é de 8,9 meses e 37,1% dos salários.

Informações da Tribuna do Norte

Comércio

COMJOL ganha prêmio nacional em São Paulo, no ramo de material de construção

A Comjol acaba de ganhar um prêmio de projeção nacional. A Rede de lojas de material de construção potiguar foi eleita Líder de Mercado no RN, no 22º Ranking Nacional das Lojas de Material de Construção.

O prêmio, recebido no último dia 29 em São Paulo pelo empresário Sérgio Lucena, mostra a força de uma empresa da terra que enfrentou a concorrência de fora e não retraiu suas atividades, inaugurando a loja da Roberto Freire e se consolidando como referência para todo o mercado.
À frente da empresa genuinamente potiguar e familiar, os irmãos Sérgio Lucena e José Lucena
A COMJOL é o retrato do empreendedorismo local, marcado pela gestão séria e profissional com que conduzem a maior rede de lojas de material de construção do estado. Um prêmio que  enche de orgulho para quem é da terra potiguar e que faz jus ao slogan da Comjol: se a Casa é sua, o orgulho é todo nosso.

Parabéns a todos colaboradores que fazem da COMJOL a maior do RN.

Empresário Sergio Lucena recebendo o 1º Lugar para a Comjol , em São Paulo.                       Foto: Divulgação