Biden desafia aliados e anuncia que permanecerá na disputa pela Casa Branca

Biden desafia aliados e anuncia que permanecerá na disputa pela Casa Branca
Reprodução

 

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, reafirmou seu compromisso com sua campanha de reeleição nesta segunda-feira, 8, apesar das crescentes dúvidas sobre sua saúde mental e a eficácia de sua candidatura, inclusive por parte de lideranças do Partido Democrata. “Quero que saibam que, apesar de todas as especulações na imprensa e em outros lugares, estou firmemente comprometido em permanecer nesta corrida, em correr esta corrida até o fim e em derrotar Donald Trump”, declarou Biden em uma carta obtida pelo canal de TV CNN.

Em uma semana decisiva para sua candidatura em 2024, Biden planeja manter contato estreito com os legisladores democratas. Todos os democratas da Câmara dos Representantes irão se reunir nesta terça-feira, 9, para discutir o futuro da campanha.

Essa será a primeira reunião desde o debate de 27 de junho, que levantou preocupações sobre a capacidade de Joe Biden de assegurar a vitória em novembro contra o ex-presidente Donald Trump (Partido Republicano) e, consequentemente, cumprir mais quatro anos no cargo.

Na semana seguinte ao debate, Biden conversou pessoalmente com cerca de 20 democratas da Câmara e líderes do partido. Entre os interlocutores estavam o líder da maioria no Senado, Chuck Schumer, o líder da minoria na Câmara, Hakeem Jeffries, e os deputados Nancy Pelosi e James Clyburn.

O objetivo dessas conversas foi tranquilizar os líderes de que suas preocupações estão sendo consideradas. Schumer e Clyburn manifestaram apoio a Biden, enquanto Jeffries permaneceu em silêncio.

Nancy Pelosi, por sua vez, considerou as questões sobre o desempenho de Biden no debate como “legítimas.”

Quando questionado sobre os comentários da deputada, Biden disse à emissora ABC News que o debate contra Trump foi apenas um episódio “ruim”. “Nenhuma indicação de qualquer condição grave”, afirmou o presidente. “Estava exausto.”

Em uma teleconferência organizada neste domingo, 7, por Hakeem Jeffries, alguns legisladores expressaram preocupações com as condições de Biden. Entre eles estavam Jerry Nadler, Adam Smith, Mark Takano e Joe Morelle, que ocupam posições importantes nos comitês do Judiciário, das Forças Armadas, dos Assuntos dos Veteranos e da Administração da Câmara.

Um oficial de campanha não confirmou se Biden havia conversado diretamente com o senador Mark Warner, que liderava um grupo explorando a possibilidade de um pedido oficial para que o presidente norte-americano se afastasse da campanha.

Warner cancelou uma reunião de acompanhamento marcada para a noite de segunda-feira após o vazamento de informações sobre os esforços do grupo.

A próxima reunião será nesta terça-feira com os democratas do Senado. Biden disse à ABC News que Warner era um “bom homem”, mas tinha uma “perspectiva diferente.”

Deu na CNN

Deixe um comentário