STTU vai instalar câmeras em Natal no final de junho

 

A Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal (STTU) deve começar, até o final do próximo mês, a instalação de equipamentos de videomonitoramento inteligente em áreas da capital potiguar. As primeiras unidades servirão como teste para as futuras instalações, que serão definidas entre a STTU e a Interjato Soluções, empresa vencedora da licitação para a prestação do serviço. Ao todo,  poderão ser instaladas até 180 câmeras, a um custo anual de  R$ 3,5 milhões.

Para a fase inicial de testes, serão implantados 10 equipamentos. Walter Pedro, secretário adjunto da STTU, explicou que as câmeras, do tipo speed dome, panorâmica, além de câmeras com OCR, para leitura de placas de veículos, serão instaladas, inicialmente, em locais como as avenidas Senador Salgado Filho, Prudente de Morais e 25 de Dezembro, na Praia do Meio. Áreas do bairro da Ribeira, bem como a Ponte Newton Navarro, também serão contempladas com os equipamentos para teste.

“Estamos recebendo a empresa para identificar os pontos  para testar os equipamentos”, afirma o secretário. Após a fase de teste e com a definição dos locais fixos a receberem o monitoramento, a STTU irá realizar uma campanha para comunicar a população sobre o uso dos novos equipamentos. “Os testes são para que a gente verifique o equipamento e a capacidade de imagem de cada um. A partir daí, definiremos os pontos fixos”, explicou Walter Pedro.

“Por enquanto, o que a gente avalia é que os pontos de teste poderão ficar [fixos] – e possivelmente ficarão – mas também podem ser alterados e os equipamentos serão colocados em outros locais”, acrescentou. De acordo com Walter Pedro, o sistema de videomonitoramento será “disponibilizado com a premissa de dar visibilidade completa”, não somente à Central da STTU, mas ao Ciosp e também aos órgãos de imprensa.

“A gente vai distribuir essas imagens porque nós entendemos que, quanto mais  pessoas estiverem vendo a situação do trânsito, melhor é para a solução de alguns gargalos. Pelas imagens, as pessoas poderão identificar e sair de áreas de conflito”, disse o secretário.

Deu na Tribuna do Norte

Deixe um comentário